destaque, IPC 828

TENDÊNCIAS – ALIMENTOS “EM MOVIMENTO” – Pág.29

Você provavelmente já ouviu falar em refeições on the go.
Mas talvez não saiba que elas representam uma grande oportunidade de crescimento para sua padaria.

 

Entre as principais demandas de consumo que se alinham atualmente no mercado, está um grupo de alimentos conhecidos como “on the go” ou “grab and go”, conceitos que podem ser definidos, de maneira simples, como a oferta de produtos inovadores para estilos de vida cada vez mais acelerados: daí os termos, que em inglês significam “em movimento” e “pegar e levar” para consumo posterior. Fórmula bastante manjada nas lojas de conveniência, a novidade é que, agora, as padarias estão adotando este tipo de opção para os clientes mais apressados, ou que, simplesmente, não estão “a fim” de cozinhar. E a boa notícia é que a maior parte desses consumidores não estão muito preocupados com o custo dos produtos, tanto pela facilidade que lhes proporcionam, quanto pelo atendimento da expectativas que eles têm deles: liberdade e facilidade de transporte, uso e descarte de resíduos.

Em termos gerais, a expectativa dos consumidor do on the go é a possibilidade de consumo em qualquer lugar e a qualquer momento. Mas (ATENÇÃO!) que não sejam refeições rápidas que se incluam nas categorias de fast food ou junk food, nada apreciadas por esse cliente específico, que as considera um tipo de “subalimentação”, ou mesmo opções nada saudáveis para o consumo.

Para isso, eles precisam ser concebidos e preparados para consumo rápido, com facilidade de manuseio – ou seja, sem necessidade de usar os utensílios habituais para uma preparação, como uma mesa, uma panela e até talheres, por exemplo – para as pessoas que já não aguentam mais comer os conhecidos snacks, pães de queijo, esfihas, coxinhas e “sandubões” básicos em seu café da manhã ou almoço fora de casa.

 

MAS NÃO É TÃO SIMPLES ASSIM

Principalmente em função das mudanças no estilo de vida e ao aumento de doenças crônicas, a saúde se tornou uma preocupação constante entre essas pessoas. Por esse motivo, a tendência dos grab and go têm se concentrado fortemente no atendimento dessa demanda, por meio da oferta de produtos cuja ingestão calórica seja menor do que a convencional, e que permitam que os consumidores tenham maior controle sobre as porções que consomem. O controle desta é algo essencial na dieta das pessoas, tanto que passou a influenciar os tipos e as apresentações dos alimentos desse tipo.

Por conta disso, essa nova tendência de alimentação fora do lar representa um desafio tecnológico, gerencial, de marketing e criativo para as panificadoras que desejam atrair esse tipo de cliente, disposto a pagar mais pela conveniência. Isso porque, embora o processo da oferta desses produto parece ser bastante simples, ela embute uma cadeia de valor relativamente complexa voltada ao desenvolvimento desses itens adaptados às tendências do consumidor, tais como novos métodos de processamento e embalagem, necessidade de implementar um sistema de venda adequado para embalagens menores, condições de armazenamento e de exposição, bem como, eventualmente, o desenvolvimento de uma nova tipologia para sua oferta nos pontos de venda, entre outros aspectos.

E isso tudo se estende ainda à questão dos chamados “produtos de origem” a serem manipulados na cozinha da padaria, uma vez que vai exigir um relacionamento melhor e mais estável com os fornecedores, que precisam ser certificados quanto a atributos como a procedência, forma de produção e frescor dos itens, como é o caso dos vegetais para as saladas, por exemplo.

Em síntese, a grande sacada do on the go é exatamente atrair o cliente pela saudabilidade, pela conveniência e pelo apelo visual. Com a oferta desses produtos, a padaria certamente vai aumentar suas vendas e, ainda por cima, facilitar a vida do consumidor.