IPC 822

HOMENAGEM – EXEMPLO DE PANIFICADOR E UM AMIGO DE TODAS AS HORAS – Pág. 13

Rubens Casselhas nos deixou. Mas seu exemplo permanecerá para sempre.

Na manhã do dia 29 de dezembro, quando ainda comemorava a passagem do Natal e se preparava para as festas do Ano Novo, a família panificadora paulista, brasileira e mundial recebeu uma triste notícia: o falecimento do grande empresário, sindicalista e querido amigo Rubens Casselhas, presidente do Grupo Pão do Parque, após uma longa, mas bem lutada batalha contra uma grave enfermidade.
Foram muitos bons momentos guardados na memória que afloraram na mente e no coração dessas pessoas. Lembranças das atitudes de coragem e das palavras de incentivo e carinho, que esse elegante, educado e motivador companheiro nos transmitiu, com a segurança que lhe era peculiar, assim como eram sua alegria contagiante, determinação, competência e enorme disposição para o trabalho, notadamente quando ocupou cargos da alta relevância, com a Presidência da AIPAN e a da AIPESP.
Merecidas homenagens em vida não faltaram ao longo da trajetória desse valoroso e amigo, todas aceitas com muita humildade, o que, por si só, já é marca do caráter dos grandes homens. Uma delas, lembrada com especial destaque, aconteceu em 2010, quando o Centro Técnico do SAMPAPÃO, instalado no prédio-sede das entidades, ganhou seu nome, deixando-o profundamente emocionado. E o mesmo sentimento aflorou em setembro último, quando foi homenageado durante a 31ª edição do CONGREPAN, em Florianópolis/SC.
Mas seu amor incomensurável pela família, sua maior paixão. E a recíproca sempre foi verdadeira, como atesta esse emocionante depoimento de sua filha caçula, Fabiana, falando em nome dela e no de seus irmãos Simone, Rubens Filho e Fernando: “Nosso pai, nosso grande herói, nos deixou uma grande lição: estamos sempre aprendendo com a vida, não importa a idade que tenhamos, há sempre alguma coisa a ser aprendida. Ele sempre nos dizia que as coisas devem ser conquistadas com muito trabalho e perseverança, e se não conseguimos ter sucesso de primeira, devemos continuar tentando, sem receio de fazer algo por medo de errar. Ele sempre foi um guerreiro, trabalhador, entusiasmado, curioso em conhecer coisas novas e em empreender. E deixou muita saudade. Porém, na sua trajetória plantou um enorme jardim e muitos ensinamentos. Iremos seguir o legado que ele nos deixou e iremos continuar trabalhando com o mesmo amor à panificação e as padarias que ele sempre teve e assim seguiremos seus passos empresariais buscando novas tendências, inovações e muito mais.”
É isso: até um dia, grande amigo!