GESTÃO – ESTOQUES: EVITE A PERDA DE RECEITA – pág.60

Uma gestão eficaz com o uso da tecnologia pode representar a melhor solução para sua padaria.

 

 

terrupção das atividades de transportes de carga não é uma novidade. Só no Brasil, há histórico de greve nos anos 1999, 2008, 2013, 2015, 2017, além da recente paralisação nacional organizada em função do reajuste do preço do óleo diesel, que acabou por gerar problemas de desabastecimento de estoque para várias empresas. E os principais impactos dessas rupturas estão relacionados à perda de produtividade e de receita e aumento dos custos após o evento, seguindo o perfil da realidade brasileira.
Nesse cenário, pela ótica de perda de produtividade, algumas empresas sofrem rapidamente com as rupturas, principalmente, aquelas que trabalham com alto giro ou baixos estoques. E tudo isso, expôs mais uma vez a falta de um Programa de Gestão de Continuidade de Negócios e Crises, que permite as empresas se prepararem para reagirem ao evento de forma rápida e retomarem as atividades com o menor impacto.
Segundo Victor Tubino, líder da prática de Distribuição e Gestão de Estoques da Protiviti do Brasil, consultoria especializada em gestão de negócios, tecnologia, riscos e auditoria interna, a implantação de tal programa é fundamental para a resiliência das empresas em situações de interrupções e crises. E o primeiro passo para se fazer isso é o planejamento, que, entre outras coisas, permite identificar fornecedores ou parceiros de distribuição, que podem atender a empresa em casos de emergências, ou formas de aumentar o nível de estoque, conforme o tempo de ruptura médio provável. “Já a segunda fase, a de preparação, envolve a execução de passos previstos no planejamento, a formalização e a divulgação dos planos para os responsáveis, como no exemplo anterior, em que é preciso entrar em contato com os parceiros e fornecedores, para definir os gatilhos e o formato de abastecimento de itens críticos, ou aumentar os espaços para atender ao novo nível de estoque”, destaca Victor. Segundo ele, aliás, essas etapas são as mais importantes e seguem o princípio de que ‘o momento de consertar o telhado é quando o
sol está brilhando’. “Após o planejamento e a preparação, a empresa passa a ter um plano com ações definidas, para ser ativado no momento de um evento, como no caso da greve dos caminhoneiros”, ensina o consultor.

TECNOLOGIA: UMA SUPER ALIADA
Sem dúvida alguma também, em tempo de recuperação econômica, as empresas de bens duráveis e não duráveis buscam controlar seus recursos para evitar qualquer tipo de prejuízos. E, especialmente em relação ao estoque, é preciso ter cuidados para que a falta de produtos não comprometa os resultados do negócio.
Por menor que seja o estoque, a falta de organização pode impactar seriamente o capital de giro e as receitas de uma empresa.
A afirmação é de Reginaldo Stocco, CEO da startup VHSYS, que oferece softwares na nuvem para gestão empresarial para micro, pequenos e médios empresários. Ainda de acordo com o executivo, por mais óbvia que seja essa informação, muitos empresários acabam relegando o controle de estoque como uma atividade secundária.
“O controle de estoque é uma das estratégias empresariais mais importantes dentro de uma organização, e afeta diretamente nas receitas e no lucro final. Um bom controle de estoque permite ao gestor calcular o giro das mercadorias e aperfeiçoar o processo de compras.”, explica.
Reginaldo alerta que uma gestão ineficaz pode gerar as chamadas rupturas de gôndola, quando os negócios perdem vendas por falta de mercadorias. De acordo com números da Nielsen, calcula-se que as rupturas representem quase 5% do faturamento mensal. “A falta de controle impossibilita o gestor de conhecer o consumo médio dos materiais e pode fazer a empresa comprar mais do que o necessário”, diz.
E embora o controle físico seja necessário, a tecnologia é a maior aliada das empresas. “Basicamente, com um controle de estoque online e usos de sistemas ERP, o setor terá todas as informações sobre o estoque, poderá registrar e controlar tudo o que entra e sai da empresa e fazer uma gestão empresarial inteligente. A ferramenta
coleta os dados com muito mais precisão, ajudando o gestor a tomar decisões mais assertivas e eficientes”, enfatiza
Reginaldo Stocco.