destaque, IPC 825

CONGRESSO FIPAN – QUE VENHAM OS DESAFIOS DA INDÚSTRIA 4.0! – Pág.44

CONGRESSO FIPAN – A QUARTA ONDA discute e orienta participantes sobre as formas de fazer acontecer num futuro cada vez repleto de mudanças.

 

De 23 a 25 de julho, o Centro de Convenções do Expo Center Norte, em São Paulo/SP, foi palco de uma ampla programação de palestras e debates tendo como tema a Indústria 4.0. Com realização do SAMPAPÃO e da Associação da Indústria de Panificação e Confeitaria do Estado de São Paulo (AIPESP), patrocínio da NITA, Prática e do PAGSEGURO, e apoio institucional do SEBRAE NACIONAL, o CONGRESSO FIPAN – A QUARTA ONDA proporcionou à plateia experiências inesquecíveis, conduzidas por grandes personalidades dos setores da economia, tecnologia e inovação para debater e propor soluções relacionadas ao avanço da “Quarta Revolução Industrial”.

Em seu discurso de abertura oficial do evento, o presidente do SAMPAPÃO, Antero José Pereira, começou conclamando a todos a celebrarem o início desse novo tempo, que traz a reboque de si um universo de novas possibilidades e oportunidades. Segundo ele, ao contrário do que muitos empresários imaginam, a integração à Quarta Onda tem muito mais a ver com a desconstrução dos ambientes corporativos clássicos e do jeito de pensar das pessoas, do que, propriamente, com a implementação de novas tecnologias na empresa. “Em outras palavras, tal processo tem mais a ver com a mudança da nossa cultura organizacional, do que com a simples utilização de hardwares ou softwares. Mais do que tudo isso, precisamos mudar as nossas cabeças, porque o futuro já chegou!”, frisou, sob aplausos.

 

IMPACTOS NA ECONOMIA

Na sequência, como primeira atividade do Congresso, o economista e ex-presidente do Banco Central, Gustavo Loyola, ministrou a palestra magna intitulada “Economia – Cenário Nacional – Perspectivas”, enfatizando a necessidade das reformas que, felizmente, já estão sendo destravadas nas pautas do Congresso, em Brasília/DF. “A panificação brasileira é um setor muito importante, que gera muitos empregos e oferece oportunidades para pequenos e médios empreendedores, e que pode muito bem usufruir das mudanças e desafios propostos por essa Quarta Revolução”, registrou Loyola.

Destaque da programação do dia 23 também foi a realização do painel “Os Impactos da Indústria 4.0 na Economia”, moderado pela jornalista especializada em economia, comentarista e apresentadora da Rádio Jovem Pan Denise Campos de Toledo, com a participação de José Ricardo Roriz Coelho, segundo vice-presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP/CIESP); Christian Saigh, CEO do Moinho Santa Clara; Cleber Sabonaro, economista-chefe da Associação Brasileira das Indústrias de Alimentos (ABIA); Junior Justino, diretor comercial da Bunge South America; e Antero José Pereira, presidente do SAMPAPÃO. “O debate entre esses especialistas foi muito produtivo, uma vez que, diariamente, a Quarta Revolução Industrial já vem provocando mudanças na forma de fazermos negócios”, pontuou Denise.

 

NINGUÉM ESTÁ IMUNE

Já a programação do dia 24 de julho teve como foco o tema da “Inovação”. Os trabalhos foram abertos pela instigante palestra intitulada “Pensando a Inovação”, de Fernando Domingues, diretor da INOVALAB, consultoria de inovação e treinamento com foco em metodologias ágeis, design thinking e transformação digital. “Ninguém estará imune ao processo de transformação. O principal assunto que está em destaque é de que as coisas mudaram, não vão voltar ao ritmo anterior, e que esse ritmo vai acelerar cada vez mais. E o principal desafio é adaptar-se às mudanças criando valor para as pessoas, dentro de uma nova experiência de consumo”, sintetizou Domingues.

Na sequência, foi a vez do esperado painel “A Inovação como Mola Propulsora para Alavancar Negócios”, com a presença de personalidades do setor e trabalhos de moderação a cargo de Marcio Gomes, que conduziu um debate sobre o uso das tecnologias atuais no âmbito da Indústria 4.0. O encontro contou com a participação de Natalia Furakawa, gerente sênior para BASF América Latina; Osvaldo Lahoz, gerente de Inovação e de Tecnologia do SENAI-SP; Luiz Carlos Rebelatto dos Santos, analista da unidade de Competitividade do SEBRAE NACIONAL; e Fernando Domingues, diretor da consultoria INOVALAB. “A Quarta Revolução Industrial está aí. Ela é real e contínua. E a inovação pode ser a mola propulsora para alavancar novos negócios”, sublinhou o jornalista.

Finalizando os trabalhos do dia 24, o empresário e professor Arthur Igreja, ministrou a palestra magna “O Imperativo da Inovação”. “A tecnologia está mudando essencialmente o comportamento das pessoas. Só que muitos empresários ainda acreditam que a tecnologia vem à frente, ou seja, que eles têm que escolher a tecnologia para mudar o seu negócio, quando é exatamente o contrário: é tentar entender como o consumidor está sendo transformado, para atendê-lo da forma mais analógica possível, com mais calor, com mais relacionamento”, deixou o recado.

 

PROTAGONISTAS DAS MUDANÇAS

Já no dia 25 de julho, terceiro e último dia do CONGRESSO FIPAN – A QUARTA ONDA, em três salas diferentes do Centro de Convenções do Expo Center Norte, foram promovidos nove talks simultâneos, sob a condução de palestrantes, que, de maneira muito dinâmica, apresentaram um olhar mais detalhado sobre os temas super atuais. Na sala “Sustentabilidade”, o destaque foi para o talk “Eficiência Energética em Tempos de 4.0”, a cargo de Angelo Souza, diretor da Divisão Panificação da Prática. Já na sala “Consumidor”, dois dos principais temas foi “Posicionando o Perfil de sua Entrega – Preço ou Valor”, em talk conduzido por Robb Mackie, CEO da American Bakers Association, e “Tendências Food Service – Nova York-São Paulo”, ministrado por Leonardo Guillardi de Paiva Lopes Consultor do SEBRAE SÃO PAULO. E, na sala “Tecnologia”, uma das principais atividades foi a apresentação do talk intitulado “Estratégia Digital para Fidelizar o Cliente”, apresentado por Marcos Pickina, chefe-consultor da Ramalhos e CEO do Blog Massa Madre.

Finalmente, fechando a programação do encontro, Luciano Pires – jornalista e empresário, que hoje produz e apresenta o programa/podcast “Café Brasil” na Rádio Mundial FM, em São Paulo –, ministrou a palestra provocacional de encerramento intitulada “O meu Everest – Emociona, Inspira e Transforma”. “Neste momento, é preciso passar a ver o mundo com um olhar diferente, e ter a consciência de que temos a obrigação de provocar individualmente essa nova dinâmica. Ou seja, cada um de nós é o protagonista dessas mudanças. Não tem Quarta Onda sem gente para coordenar o processo, porque robô, sozinho, não vai fazer isso”, destacou Pires.